Guia da Beleza

 

Beleza Segura

Cuidar da aparência física, ficar mais bonita(o), além de ser prazeroso é quase uma obrigação na nossa sociedade. A mídia, em seus diversos meios de comunicação, abre espaços nobres para tratar de assuntos relacionados à aparência física e ao embelezamento, apresentando produtos inovadores, além de depoimentos de profissionais do ramo.

A indústria de cosméticos e artigos usados nos tratamentos de beleza em clínicas, salões ou em domicílios consolida-se no país, tornando-se cada vez mais especilizada, desenvolvendo produtos e equipamentos de novas tecnologias, o que aumenta a participação dessas empresas no mercado.

Em decorrência, cresce o número de salões de beleza, de estética, cabeleireiros, manicures e barbeiros nos mais diversos bairros da cidade para atender à demanda desses serviços, abrangendo todas as classes sociais e econômicas.

Esses estabelecimentos, no entanto, devem respeitar e se adequar à legislação sanitária vigente, seguindo as normas de boas práticas, para garantir ao profissional e a seus clientes, segurança e qualidade nos serviços que prestam, evitando riscos à saúde.

Todo cuidado é pouco quando se lida com o público, em especial quando o serviço prestado pode prejudicar a saúde do cliente e do profissional, através da transmissão de doenças, como por exemplo: Hepatite B e C, AIDS, infecções, reações alérgicas e outros.

Assim é preciso ficar atento, pois alguns tratamentos estéticos só podem ser realizados por profissional médico, como por exemplo aplicação de técnicas específicas e tratamentos à base de injeções.

Prevenir doenças e promover a saúde é o dever de todos os orgãos de saúde pública, fabricantes, empresários e prestadores de serviços de embelezamento. Nesta seção, estão disponibilizadas de modo prático e resumido as normas de vigilância sanitária e de boas práticas no que se refere a instalações físicas, controle de produtos, medidas de higiene e esterilização de materiais.

 

 

 

Higienização do Ambiente

  • Pisos: É necessário a retirada imediata dos cabelos decorrentes do corte, a cada cliente
  • Mobiliários: Devem ser limpos com água e sabão ou detergente, por dentro e por fora.
  • Banheiros: Devem ser limpos com água e sabão e a desinfecção do vaso sanitário deve ser feita com água sanitária.

 

Produtos em Geral

Os produtos utilizados para embelezamento pertencem à categoria dos cosméticos e são regulamentados pela ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde.

Verifique nos rótulos as seguintes informações: 

  • Nome do Produto;
  • marca;
  • lote;
  • prazo de Validade;
  • conteúdo;
  • país de Origem;
  • fabricante/Importador;
  • composição do produto;
  • finalidade de uso do produto;
  • número de registro no Ministério da Saúde/ANVISA para os produtos indicados abaixo, conforme determina a Resolução ANVISA nº 79, de 28 de agosto de 2000;
  • sabonete Antisseptico
  • sampoo, condicionador e enxaguatório capilar anticaspa;
  • creme, gel e loção para a área dos olhos;
  • tintura temporária, progressiva e permanente;
  • enxaguatório colorante;
  • produtos para clarear os cabelos (clareador, descolorante, oxigenada 10 a 40 volumes);
  • produtos para ondular e alisar os cabelos;
  • tônico, loção e máscara capilar;
  • depilatório químico;
  • produtos para clarear os pelos do corpo.

Esse produtos devem ser guardados e protegidos da luz, calor e umidade, totalmente separados de alimentos e produtos de limpeza.

 

Antes de aplicar qualquer produto sobre a pele, cabelos ou unhas, pergunte ao seu cliente se ele (a) tem algum tipo de alergia aos componentes químicos do produto a ser utilizado.

 

Equipamentos

Devem apresentar: 

  • Número de registro no Ministério da Saúde / ANVISA;
  • manual técnico do equipamento em português;
  • manutenção preventiva realizada conforme orientação do fabricante.

 

Toalhas e Descartáveis

  • Usar uma para cada procedimento, independente de ser a mesma cliente;
  • Devem estar limpas, podendo ser lavadas em lavanderia ou de forma doméstica, com água e sabão e passadas a ferro quente.
  • Guardadas de forma organizada em local limpo, seco e arejado, podendo ser prateleira ou armário;
  • As sujas devem ser colocadas em local diferente das limpas, para evitar contaminação.

 

Alicates, Espátulas e Outros Materiais de Metal

  • Devem ser lavados e escovados com detergente neutro em água corrente abundante, ou lavadora ultrassônica, a cada procedimento. É recomendado que o profissional que realiza a lavagem utilize, para sua segurança: avental plástico, máscara, óculos de acrílico, luvas emborrachadas;
  • Em seguida, enxaguar, secar e acomodar o material em embalagem apropriada para o processo de esterilização;
  • Na embalagem deve constar a data de esterilização e o nome de quem preparou o material;
  • A embalagem deve ser sempre aberta na frente da (o) cliente.

Recomenda-se que cada profissional tenha no mínimo 06 (seis) jogos de alicate e espátula de metal, para garantir sua saúde e a de seu cliente.

 

Processos de Esterilização

1) Vapor Saturado/Autoclave

  • Os materiais de metal, depois de lavados, devem estar embalados e acomodados em embalagem que permita a passagem de vapor.

 

2) Calor Seco/Estufa

  • Os materiais de metal, depois de lavados, devem ser colocados em estojos de alumínio ou aço inosidável, tipo marmita; ou em envelopes próprios para esterilização em estufa;
  • A temperatura para garantir a esterilização é de 170°C por 1 hora ou 160° por 2 horas.
  • O tempo para esterilização deve ser contado a partir do momento em que o termômetro longo do bulbo (mercúrio) atingir a temperatura programada no termostato (botão do equipamento).
  • Não pode ser aberta durante a esterilização. Quando isso ocorre, o processo de esterilização é interrompido. A temperatura e o tempo devem ser zerados, ou seja, o processo deve ser reiniciado.

 

  1. Os alicates, espátulas e outros instrumentos de metal esterilizados devem ser guardados em local limpo e seco e constar na embalagem a data da esterilização, sendo esta válida por 7 dias sem a utilização dos instrumentos.
  2. Leia com atenção o manual técnico de seu equipamento e siga corretamente as instruções do fabricante. Guarde o manual em local de fácil acesso para que possa ser consultado sempre que necessário.
  3. Fornos elétricos ou equipamentos com lâmpada ultravioleta não esterilizam os materiais de metal.

Serviços

1) Manicure, Pedicuro e Podólogo

O profissional deve:

  • Lavar as mãos antes de atender cada cliente;
  • Esterilizar os alicates, espátulas e outros instrumentos de metal, a cada uso;
  • Abrir a embalagem dos alicates, espátulas e outros instrumentos de metal na frente do cliente;
  • Retirar as toalhas da embalagem plástica na frente do cliente;
  • Manter o material de trabalho tipo algodão, esmaltes, removedor de esmalte e lixas novas, organizados em maletas ou gavetas;
  • Manter o algodão em pote com tampa;
  • Perguntar ao cliente se possui alguma alergia a esmalte ou outro produto a ser utilizado;
  • Jogar no lixo os materiais descartáveis ou de uso único, como algodão, lixas de unha, protetor de cuba e de bacia, lâminas etc. 

Recomenda-se:

  • Colocar luvas descartáveis é só retirá-las quando concluir o serviço;
  • Borrifar álcool 70% nas unhas do cliente antes do procedimento para evitar infecções.

Concluido o serviço, deve:

  • Lavar as mãos após o atendimento de cada cliente;
  • Lavar e esterilizar todos os instrumentos utilizados ou não, pois mesmo sem uso estarão contaminados e devem estar limpos e esterilizados para o próximo cliente;
  • Lavar as bacias e cubas com água e sabão líquido ou detergente após cada uso;
  • Colocar os instrumentos utilizados em caixa plástica lavável, sinalizada:"Instrumentos Contaminados" e prepará-los para o processo de esterilização.

Elaborando Manual

  1. As lâminas utilizadas nos procedimentos de podologia devem ser descartadas em recipiente rígido para produtos perfurocortantes.
  2. Se identificar alguma alteração na unha ou pele do cliente, orientar para que procure um médico.

 

 2) Cabeleireiro e Barbeiro

O profissional deve:

  • Lavar as mãos antes de atender cada cliente;
  • Perguntar ao cliente se possui alguma alergia aos produtos que vai utilizar;
  • Manter as escovas e pentes em recipientes limpos e organizados;
  • Utilizar lâminas novas a cada cliente e descartá-las após o uso. Não reaproveita-las;
  • Proteger-se com luvas ao fazer uso de química.

Concluído o serviço, deve:

  • Lavar as mãos após atender cada cliente;
  • Limpar escovas e pentes, removendo os cabelos após cada uso;
  • Lavar pentes, escovas e demais equipamentos utilizados, com água e sabão líquido ou detergente, após o uso em cada cliente;
  • Descartar as lâminas utilizadas em recipientes rígidos;
  • Retirar do chão os cabelos decorrentes do corte.
  1. Produtos químicos à base de formol para escova progressiva estão proibidos, pois não possuem registro na ANVISA para esta finalidade. O formol é cancerígeno e provoca queimaduras na pele e mucosas, irritação nos olhos, podendo levar à cegueira, tanto o cabeleireiro quanto o cliente.
  2. Se identificar alteração na pele ou no couro cabeludo do (a) cliente, orientar para que procure um médico.

 3) Depilação

Deve ter:

  • Local adequado e com privacidade;
  • Maca com superfície lisa e lavável que permita higienização;
  • Lençol de papel descartável que deverá ser trocado a cada nova cliente;
  • Mesa auxiliar, com superfície lisa ou lavável, pafra a colocação sdos produtos usados no ato da depilação como cremes, talco, cera e acessórios tipo pinça;
  • Lixeira com saco plástico e tampa para descarte de cera usada.

O Profissional deve; 

  • Lavar as mãos antes e depois de atender cada cliente;
  • Utilizar pinça descartável ou esterilizada a cada cliente;
  • Trocar o lençol descartável a cada cliente;
  • Espátulas de madeira devem ser descartadas a cada uso;
  • Usar cera de depilação que traga no rótulo identificação do produto, procedência, validade e notificação da ANVISA/Ministério da Saúde.

A cera de depilação nunca deve ser reutilizada